março 29, 2010

(Quase) Como um conto de fadas ...

Um dia subimos os dois para o telhado, e vais-me dizer o nome de todas as constelações. E aí vou-me apaixonar por ti, só assim. E apenas descansarei quando, enquanto com uma mão quase que escrevinhas o céu, a outra mão estiver a agarrar-me ali, ao telhado.

Um dia serás a excepção à regra. Aquela regra que criei ainda não sei bem como, nem me lembro ao certo de quando. Aquela regra pela qual regi tudo aquilo que fiz. E serás tu a mostrar-me aquilo que poderia fazer.

Um dia serás personagem de argumento fraco, mas forte carácter dum filme romântico bastante lamechas. Apenas para eu poder desabar tudo no teu ombro, e depois esperar que esqueças e continues a querer-me.

Um dia chegarás. E nesse dia, irás ser tu a apresentares-te a mim. E eu apenas corarei, murmurarei duas ou três palavras sem nexo e rirei bastante alto. E tu ficarás por isso.

Pulga

março 12, 2010

Garota

"Olha que coisa mais linda
Mais cheia de graça
É ela, a menina
Que vem e que passa"




Apetece-me um vestido, um leve pedaço de tecido que me caia suave sobre a pele.
Saudade da meninez?
Talvez...
Apetece-me o chinelo ou o pé no chão, o graciar do vestido a rodar, a chuva na terra batida do quintal, aquela de Verão que refresca o calor descomunal, aquela que ninguém leva a mal...
Apetece-me ser menina pequenina, catraia traquina, ou mulher a ondear à beira mar, ao som desconchavado do meu ritmo aluado.
Apetece-me ser garota de vestido, com o cabelo à brisa perdido...

Apetece-me um vestido.
Saudade da meninez?
Talvez...

Borrega



Créditos:
Música:
"Garota de Ipanema", de Vinicius de Moraes
Fotos: César Rodrigues
Montagem: Pulga e Borrega

março 09, 2010

Também sobre os Óscares...

... Podiam ter tido melhor escolha que abrir a cerimónia com este senhor?

[Hi! I'm Neil Patrick Harris. I know: What am I doing here?]
Oscars 2010

É capaz. Mas mais nenhuma maneira seria tão brilhante para me levar ao ponto de assistir mais de 4 excruciantes horas!



Pulga

março 08, 2010

Desvario com dores

Tísica, branca pálida, noiva nua, crua, magra, alva tísica dorida.
Mulher caquéctica sorris docemente de esgar. És carraça demente, parasita ansiosa por nos dissecar.
De bisturi em riste rasgas os músculos, cortas tendões, o sangue jorra. Nem viste o olhar amargurado, torturado do pobre cadáver sofrido que esventraste.
Então, já de barriga cheia, limitaste a ser sádica e massacras mais um pouco, que agora és obesa pálida que tem energia para gastar...
Puta de merda, que me fazes ajoelhar, berrar e implorar para parar.
Pêga avara que até o ar me roubas, que nem resfolegar e inspirar me deixas em paz.
Mas ri enquanto podes, sua quenga tirana, que a doce dama de negro há-de chegar, que a Dona Morfina as veias me há-de adoçar e os músculos acariciar. E aí, rameira, serei eu a te pisar.

Borrega

Nota: "Carraça demente", comentário da Pulga: «Obah! Isto sou eu!!»

"On a plain"

"What the hell am I trying to say?"

Escrevo palavras soltas, vãs, sem sentido ou propósito.
Escrevo palavras solteiras, nem sempre certeiras, palavras caseiras, tímidas de dar dó.
Escrevo não, rabisco só...

"I'll start this off without anywords"

Respiro fundo, olho o ar perdida, fico, aliás, deixo-me num canto esquecida.
Rebusco pl'Alma palavras soltas, tímidas de dar dó.
Numa paragem de autocarro, headphones no máximo, uma pequena de roupa morta, pisa o chão com alegria rosa-choque.

"It is now time to make it unclear
To writte off lines that don't make sense"

Eu estou num avião, sobrevoando a minha imensidão interna. Eu quero escrever, eu preciso escrever, mas não sei [por]quê.
As minhas palavras são so[lteira]s de dar dó, mas ao tocarem a folha, dão as mãos, contamhistórias, são canção...

"Somewhere I have heard this before
In a dream my memory has stored"

Não sei que dizer, não sei que escrever. Não sei...!!!!
Estou bem, não estou por aí além, mas estou bem...
'Rais parta este buraco de insatisfação, 'rais parta!

"The black sheep got blackmailed again..."

by the hole in her soul, that fucking bastard!


"I'm on a plain

Ican't complain

I'm on a plain"


Borrega

Créditos:
Música:
Nirvana - "On a plain"

março 06, 2010

[Olha para mim .]

"Everyone I know goes away in the end!"

Não me tirem o meu céu!
Não me tirem o chilrear das andorinhas pelas manhãs de Primavera.
Não me tirem!
Não me deixem órfã...
Cabocla livre pelos campos, corre ligeira precedida e perseguida pelos cachorros...
É feliz.
Procura nestas corridas e nestes passeios o bálsamo para as cicatrizes.
Que vêem-nas à distância, vêem-nas a olho nu.
Maldita transparência que tenta, infrutiferamente, esconder com a sua roupa negra, o seu riso fácil e os seus sarcasmos pungentes.
Não me tirem o meu céu!
Não me tirem o pôr-do-sol a doirar as laranjeiras.
Não me tirem!
Não me deixem órfã!
Não sei estar sozinha. "Mas estamos todos sozinhos.", dizem-lhe.
Contudo nesta solidão estamos todos juntos...
E como precisa, de vez em quando, da confusão familiar, de autoridade paternal... de companhia.
Maldito amor que me "prende", maldita mania de ver branco...
Não me tirem o meu céu!
Não me tirem as minhas pinheiras, cresci em cima dos seus ramos...
Não me tirem!
Não me deixem órfã...
Olha para mim.
Lê-me: sou livro aberto, sou corpo a descoberto.
Olha para mim.
Só fui órfã de mim mesma.
Só serei órfã se voltar a não acreditar que as minhas cicatrizes são deveras belas, que no meu peito cabe o mundo!
Olha para mim, pequena sobre um céu descomunal: o meu céu!
Meu, no meu peito, onde quer que eu vá.
Meu... da minh'Alma...

Borrega
(15/02/2010)

P.S.- "Larger than life"

Créditos:
Música: a voz dorida de Johnny Cash
Imagem: daqui

março 04, 2010

Girls vs Suits

video

[How I Met Your Mother]

“ Came on (…) Take your head out of your ass.”

Barney Stinson

Pulga

março 03, 2010

Uma Questão de Pontuação!

"Mas são como vírgulas para nós."

by Lilly


A citação acima citada tem apenas uma razão. Como poucos sabem, nós vivemos numa Residência Universitária, e como tal, tem regras de convivência. A última adoptada pelas residentes é a melhoria da linguagem no piso, e como resultado, por cada asneira, um euro salta da nossa carteira. Isto caso sejam em português, porque estrangeirismos aqui saem-nos mais caro!

Sendo que nós convivemos com pessoas de todo o país, esta nossa amiga vem directamente do centro portuense, e é um orgulho ouvir estas pérolas!

Borrega e Pulga

março 02, 2010

Breakfast After Ten .


Pela enésima vez o telemóvel toca, e pela enésima vez ela desliga-o. À que saber desligar o telefone.

De mansinho ele enfia-se novamente na cama, mas ela sabe o quão nervoso está. Levantou-se ainda não se via o sol pelos estores, sabiamente deixados entreabertos.

Colocou o braço por detrás dela para parecer descontraído, relaxado, mas não a consegue enganar, e está consciente disso. E ela conseguia cheirar-lhe o café na ponta dos dedos, a manteiga na palma da mão, o leite que lhe queimou o pulso e o pão torrado.

O telefone toca pela enésima primeira vez. Ela volta a desligar, ainda não está na altura de atender. Ele olha de soslaio para o telefone, infelizmente é orgulhoso demais para falar. É orgulhoso demais para lhe dizer que tem medo que tal como ontem, amanhã ela pode não estar por cima do braço dele.

Então ergue-se novamente, e caminha.

[Vai-lhe buscar o pequeno-almoço.]

Pulga

Título: Breakfast After Ten’ – Blue October

Odisseia#5


"Being the best of the best means that you make mistakes and then you go on."



"When I first meet you, you were larger than life."


Borrega

Créditos:
Quotes:
Kelly McGillis, as Charlie in Top Gun

Perfeita Imperfeição .

Não achas que ele devia chegar atrasado como é característico dele? Assim como devia entrar pela porta das traseiras, porque nem a mãezinha nem a cusca do terceiro esquerdo têm algo a ver com isso.

Não achas que deviam desviar o olhar cada vez que ele te abraça apenas porque estás arrepiada? A brasa é só tua, e o calor não devia chegar a mais ninguém.

Não achas que as insónias te deviam deixar dormir no teu canto, descansada, cada vez que as coisas não correm como planeado? Assim na manhã seguinte tens tudo delineado, bem ou torto, as mentiras bem ensaiadas, e os cafés e as conversas, marcados.

Não achas que, assim sim, seria a perfeita imperfeição?

Pulga