janeiro 31, 2010

Odisseia#3

"I hurt myself today
to see if I still feel
I focus on the pain
the only thing that's real"


Eu sou a Culpa.
Sou filha da Razão com a Utopia em corpo de homem.
Porque ter razão acarreta sempre responsabilidade e, quando se é responsável, quer se queira quer não, tem-se culpa (para o bem ou para o mal).
Mas que raio levou a Razão a misturar-se com a Utopia?
A culpa é do livre arbítrio concedido pela Dor e da [ir]racionalidade do Amor!


"Todo o sentimento é doloroso, de uma maneira ou de outra. A alegria mais intensa é uma ferroada no coração, e o amor... o amor é uma crise da alma."
("A interpretação do crime", Jed Rubenfeld)

Borrega

P.S.- Pipa... Muitos Parabéns!

Créditos:
Música:
Johnny Cash - "Hurt"
Imagem: daqui

janeiro 30, 2010

*My sweetest friend...

"What have i become?
My sweetest friend
Everyone I know
goes away in the end"



Hoje está menina, calças de ganga e camisola preta, os imensos caracóis aconchegam-lhe o rosto, escondem-no naquele misterioso nevoeiro azeviche., "tal qual" antigamente.
Abana a cabeça, mandando as lágrimas para longe. Uma aterra, esfericamente perfeita, na manga negra. Pega-a à ponta do seu indicador, leva-a à boca.
Prometi,prometi-te, prometemos... Promete-se tanto quando se ama, até quando apenas nos deitamos em silêncio e nos entregamos...
Promessas de raízes até à alma que depois, um dia, eventualmente, cortamos com catanas aguçadas.
As raízes ficam, sempre, para sempre. Pelo menos para mim é assim.
As nossas estradas já estão tão distantes, sem qualquer tangência. Já não te conheço, nem tu a mim. Mas há coisas que nunca mudam, então eu continuo a fazer promessas de raízes na alma, mesmo sem dar conta, como aquelas que são feitas no agasalho dos lençóis calados e sedosos. Continuo a ter esta capacidade inata para magoar(-me), para desiludir(-me)... Continuo a ter, aliás, o meu coração continua a ter esta capacidade aflitiva de se entregar e prometer aos outros e a si coisas que a minha mente leva muito mais tempo a racionalizar.
Oiço country...
Gosto, tenho fascínio, por coisas antigas, ar decadentemente elegante, por coisas "estragadas". Divirto-me a analisar situações e pessoas, porque nas imensas horas da noite já me cansei de me analisar.
Ouço rock...
Gosto de fotografia, de campos tão planos e infindáveis que chega a meter fastio, de "dançar" do meu jeito descoordenado e desajeitado no meio do milho. Gosto de caminhar e de andar de bicicleta.
Oiço grunge...
Gosto de livros e de morangos, gosto de cravos e de comer melancia sob o sol escaldante do Ribatejo, do mar e de rodopiar à beira deste, do pôr-do-sol, do Tejo.
Ouço metal...
Gosto de policiais, de cães e começo a gostar de gatos. Gosto de guitarras, de ir ao cinema e apanhar uma overdose de pipocas, de chocolate, de cozinhar.
Oiço pop...
No fundo, sou uma menina que gosta de pôr cara de má e parecer dura e depois, quando essa máscara cai e se vê a porcelana rachada, chora sem fim...
Gosto do colo de quem amo, gosto de dar colo a quem amo. Gosto de andar de coração nas mãos e de fazer promessas...
Hoje está "tal qual" antigamente, vestida de um preto docemente protector. Sente-se crescida, um pouco mais crescida. Tem é de aprender a lidar com esta inata capacidade do seu coração se dar e prender, de se prometer antes dela, por vezes, saber.

"I will let you down
I will make you hurt"

Borrega

P.S.- To my Sis'...
To Pipa...
To Lau...
To Jojo...
To Nuno...
To Oscar...
To Claúdio...
And a few more...
Thanks for all...

Créditos:
Música:
Johnny Cash - "Hurt"
Imagem: daqui

janeiro 29, 2010

Raizes Durienses


Num sofá que encara uma lareira viva, ela está com as costas recostadas num dos "braços" deste e as pernas pendentes no outro. De computador ao colo lê blogs, respira fundo e pensa.
A cadela entra sala a dentro.
Afaga-lhe a cabeça e, com um latido, ela pede-lhe que lhe abra a porta.
Fá-lo, sente o frio que faz lá fora, e volta para o sofá.
Amanhã há-de nevar, mas ela ainda não sabe isso. Há-de ficar impedida de voltar a Vila Real, mas também ainda não sabe isso. Por agora está apenas feliz por estar de volta a Santa Marta. É feliz aqui, sente-se bem, dá-lhe paz, a paz que precisa para se organizar.
Que raio é isso que se agiganta dentro de dela?
Fecha o pc.
(...)
Noite agitada, embora durma serena, sonhos turvam-lhe a mente.
Que querem dizer?
(...)
Neve. Acorda com o alerta de que neva lá fora. Corre para um mundo branco.
Anseia-o ali...
Gostava da mão dele na dela, passeando no branco.
Está difícil a volta a Vila, as estradas estão cortadas, típico.
Não é que se importe de mais uma noite nesta casa, de mais uma noite para pensar... Mas quer Vila e o colo da sua irmã.

Oriana e o branco Douro profundo.
Oriana e o abrigo da raiz que aqui tem.
Oriana e o branco.
Oriana e o imenso turbilhão que sente.

Oriana...

Borrega
(10/01/2010)

P.S.- Um obrigado especial à Loira e à sua casa


Créditos:
Cadela: Layla 25
Música: Pearl Jam
Imagem: daqui

janeiro 27, 2010

Are you sure that God doesn't exist?

video


Because He might be a DJ.

(daqui)

Pulga

janeiro 26, 2010

Brincadeira de Criança



“Aqui balançaram-me”, está escrito no baloiço lá do fundo. Aquele mais à esquerda. E mesmo ao lado, naquele banco enferrujado ainda consegues ler: “Aqui abraçaram-me”. E estás a ver aquele candeeiro um pouco mais torto? Se olhares para cima vês que “Aqui abandonaram-me”.

Ou se calhar não consegues ver. Se calhar apenas sonhei com isso enquanto corria de um lado para o outro como uma menina pequena. De certeza que os meus passos ainda estão bem marcados na areia.

Assim como se calhar não me viste ali de bibe a engolir uma mão cheia de gomas, ou a subir para o colo dele, que me fez esquecer das lágrimas quando me apressou a sair de casa.

Como não vês se está tão à vista? Olha como o escorrega está tão marcado por, tantas vezes, subirmos da maneira (que costumava ser) mais difícil, debaixo do sol abrasador que nos queimou as costas.

Aposto que também não consegues ouvir os risos abafados por entre as árvores enquanto ele me protegia de ser descoberta no jogo das escondidas.

Mas tens de conseguir ver aquele pôr-do-sol, porque eu não consegui. Estava a caminhar na direcção oposta, enquanto lhe gabava a paciência.

Talvez da próxima vez possas vir andar de balancé connosco.



And there’s those other things

Wich for several reasons we won’t mention

Everything about ‘em is a little bit stranger, a little bit harder

A little bit deadly

Rufus Wainwright – Cigarettes and Chocolate Milk



Pulga

Ao Padrinho mais improvável, pela paciência.


janeiro 25, 2010

Ósculo

"She looked at me and said: «Hold me darling, just a little while.»"



"I held her close, I kissed her our last kiss"

O que é um beijo?
É desejo?
Da carne ou da alma?
O que é um beijo?
Duas almas pegadas por lábios colados.
O que é um beijo?
Olhos cegos que vêem almas por lábios que se abraçam.
Será capricho?
Não, um beijo tem de ser mais, muito mais que isso!
O que é um beijo senão um «[A/a]mo-te», segredado em sussurros lânguidos dos meus lábios para os teus?
O que raio é um beijo?



Borrega

Créditos:
Música: Pearl Jam - Last Kiss
Imagem: daqui

janeiro 24, 2010

Tribunal

Aos 24 dias do primeiro mês, o Tribunal aqui presente julgou o seguinte réu:

Ian Somerhalder

Listen up, everybody! Here’s to the man who broke my heart, crush my soul, destroyed my life and ruined any and all chances of happiness. But mostly is just a walk away Joe.

Bree, 1.11 - Bloodlines


video





“- Nunca faria um ménage…

- Nem se aparecesse o Sam e o Dean?

- Não. Agarrava-me ao Dean e deixava o Sam ir embora.

- Nem se aparecesse o Stefan e o Damon?

- Não. Agarrava-me ao Stefan e deixava o Damon ir embora.

- E se aparecessem os quatro juntos?

- Era só um na cama…”



Com todas as provas apresentadas o Tribunal declarou-o culpado e criminoso de todas as acusações.

Pulga e Borrega


E diz alguém com sono ...


… Porque é que são 7h55 da manhã e eu estou a ouvir música de alvorada?


[é por ser 24 de Janeiro?]


Pulga

janeiro 23, 2010

Nota Mental:


1.


Porque nos últimos tempos a dieta tem sido à base de muitas horas de sono, pouco ou nenhum exercício, muitos chocolates, batatas fritas e coca-cola!









2.
Porque vou precisar de muito disto para conseguir não comer disparates. E, sobretudo, porque se avizinham tempos de mudança e possivelmente difíceis!







Borrega

Créditos:
Imagens: daqui

Desejo(s)


Queima.
Mas a ausência dá-se ao trabalho d'esfriar este calor terno que lh'adoça o peito. (Pensa ela!) Depois...
Depois não consegue dormir. Não lhe sais da cabeça, vagueias-lhe pelo peito.
O peito que quer ser teu porto d'abrigo, o peito que está lá, aberto de par em par, para que venhas e descanses os teus medos e das tuas batalhas.
E, quando vieres, ela abraçar-te-á e bastar-lhe-á que lhe sorrias com os teus olhos luz.
Oriana revira-se na cama, levanta-se e vem para o corredor escrever. Escrever sobre ele.
Oriana e o sentimento que lh'adoça o peito.

Oriana...

Borrega
(25/12/2009)
Créditos:
Imagem: Angelina Jolie

janeiro 22, 2010

Sobrenatural ...

video

5.11 – Sam, Interrupted

video

4.06 – Yellow Fever

… ou As-Coisas-Mais-Fixes-de-se-Ver-Quando-se-Está-a-“Estudar”

Pulga

Ainda sobre exames ...

… eles que venham! Que a super-coisa e a imortal pouco ou nenhum medo têm deles!

Pulga

(imagem daqui)


janeiro 19, 2010

1 ano




Faz hoje um ano que a Pulga se virou para mim e disse, é hoje que pomos de pé o blog... Sendo que já estávamos há coisa de dois anos para o fazer...
Faz hoje um ano...

Faz hoje um ano que escrevemos
isto e isto. Faz hoje um ano que pusemos uma à outra em lágrimas.
Faz hoje um ano…





E por isso decidimos fazer disto um best of.




As escolhas da Borrega :



Janeiro | Fevereiro | Março | Abril | Maio | Junho | Julho | Agosto | Setembro | Outubro | Novembro | Dezembro



As escolhas da Pulga :



Janeiro | Fevereiro | Março | Abril | Maio | Junho | Julho | Agosto | Setembro | Outubro | Novembro | Dezembro




Mais! A Butterfly Angel que nos segue desde o inicio deu o nosso presente de aniversário, criando um selo para nós, porque é um ‘Blog fantástico, único! Continuem!!!!’ . Obrigadaaaa!







a Borrega (que continuará a balir) e a Pulga (que ainda salta)

(ideia daqui)

janeiro 17, 2010

Apathy is just a feeling ...



“ Já fez um ano, lembraste-te? Eu lembrei-me, mas mais ninguém falou nisso e eu agi como se nada tivesse acontecido. Nem uma lágrima derramei, acreditas? Mas hoje fui lá de propósito, fui ao sítio onde tudo começou, e lá estava a árvore junto à qual me deste a mão, e a carrinha branca atrás da qual te declaraste. E ainda que estivesse tudo igual, faltavas tu e eu não chorei. Ena! Um ano. Consegues acreditar? Lembro-me tão bem de como me abandonaste na chuva. Que irónico. Hoje também chove. E o que senti junto aquele sítio foi o mesmo que senti quando saí do carro – nada. Um ano. Não. Um ano e qualquer coisa. Ena. Mas sabes que mais? Acho que cresci, e por isso, obrigada. “


Não percorre a lista telefónica, ainda se lembra do número de cor e salteado. Também não espera resposta, mas tinha de lhe dizer. É verdade que mentira, não foi ele que a fez crescer, foram os portos de abrigo que ela descobrira depois, mas mesmo assim teve de lhe dizer. Apatia é só um sentimento, mas ela prefere desperdiçar o mesmo ao sentir-se só feliz.


Pulga

janeiro 16, 2010

I live for music; I live for life .


Que a música a faz surda, já todos sabem. Poucos sabem porquê e ainda menos sabem como. Mas ela não se importa, prefere imaginar-se a girar entre flocos de neve, gotas de chuva e raios de sol do que explicar porquê.

E como ela gira. E como ela dança. Deixa-os ir à frente naquele sítio escuro, assim ninguém a verá retornar ao que sempre foi. Mas há sempre aquele que olha para trás quando não deve, vendo-a fazer uma espargata mais arrojada. Não se magoou, esteve quase, mas permanece intacta. Talvez um ou dois arranhões que amanhã a chatearão. Esses arranhões que ela, amanhã, mostrará a quem olhou para trás.

E quando todos param, ela cai. Magoou-se muito. Caiu porque pararam, caiu para que não reparassem. E por isso os arranhões vão ser considerados consequências da queda. E quando a procissão recomeçar, ela voltar-se-á a levantar. E aí será novamente o que sempre foi. Será bailarina desastrada da sua própria dança.


“I want to carry a piece of who I was before
So when I hit the wall, I really hit the wall”

Overweight - Blue October

Pulga

janeiro 14, 2010

Odisseia#2

« - I live in Notting Hill. You live in Beverly Hills. Everyone in the world knows who you are, my mother has trouble remembering my name.

- I'm also just a girl, standing in front of a boy, asking him to love her. »

Borrega

Créditos:
Diálogo:
in Notting Hill

janeiro 04, 2010

Odisseia#1


« - Quando você se machuca, você aprende a odiar. Por outro lado, quando você machuca outra pessoa, você se recente. Mas, também começa a se sentir culpado. Entender essa dor permite que você seja gentil com os outros... É isso que nos faz humanos.
- O que você quer dizer com isso?
- Isso é o que chamam de "crescer".
- Crescer? O que você quer dizer?
- Isso você precisa descobrir sozinho.»


Borrega

Créditos:
Diálogo:
in Naruto Shippuuden

janeiro 01, 2010

Odisseia...


« - O lugar onde alguém pensa em você, é onde você pode voltar.
- Então, se alguém estiver pensando em mim, é para lá que eu tenho de voltar?
- É... Essa é a sua casa.»

Borrega

Créditos:
Diálogo:
in Naruto Shippuuden